referências, diálogos e pares poéticos

quando iniciei a pesquisa, imaginei algumas referências com as quais pretendia dialogar:

as ficções botânicas de fontcuberta.

as performances com germinações de rubiane maia. 

 

o primeiro livro ilustrado com fotografias, produzido com cianótipos por anna atkins.

afinal, ao iniciar minhas investigações com os pigmentos, e meus testes de diluição deles, uma amiga me indicou ver obras de tadeo haenke, um pesquisador que saía em expedições e possivelmente fez a maior catalogação de pigmentos de vegetais, uma espécie de pantone floral, mas que não usava o mesmo sistema da escala pantone.

outra amiga, ao ver meus anthotypes, indicou que procurasse ver os herbários de lourdes de castro, que ela realizou com serigrafias, pinturas e heliografias, usando as plantas de seu jardim.

e uma terceira amiga, depois de uma conversa sobre por onde o processo andava me conduzindo, me emprestou um livro da artista anne geene. ela faz uma enciclopédia de tudo que encontrou (animais e vegetais) num pequeno lote de terra.

essa troca, esses diálogos com amigos tem sido muito enriquecedores, pois esses olhares atentos, que tem uma visão privilegiada de quem está vigilante, mas não está imerso no processo, me ajuda muitíssimo a encontrar mais pares poéticos. que surjam outros mais!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s